quinta-feira, 25 de abril de 2013

História de uma gota por Sarah Leandro



Deu-se conta de sua existência. Acordou-se num mar - de possibilidades - era parte e era todo. As águas a levavam num vai e vem, oscilando, indo e vindo… Um dia percebeu que não ia a lugar algum, segurou-se num braço de rio e correu. 

Nunca havia atingido tamanha velocidade, passava por cima de pedras, respingava-se em saltos mortais, deslizava em escamas. Bailava e rodopiava pela correnteza. Até que, certa vez, querendo desvencilhar-se do frenesi e conhecer novos mundos, resolveu deixar-se evaporar.
E dançou com o vento, conversou com nuvens, escorreu pelas janelas dos aviões, observando os olhos bem abertos de seus passageiros. Porém, já satisfeita de suas aventuras vaporosas, deixou-se chover. E choveu.
Choveu sobre humanos felizes, que tinham sede dela. E era fonte de hidratação, sangue e emoção. E foi assim que resolveu ser lágrima, escorrer por um sorriso e esparramar-se no mar… Ah, o vai e vem…

Texto de Sarah Leandro.